25 março 2009

Meu jeito Plantônico de viver

                                         
























Pensar em você é perder meu tempo. É perder um pouco do que eu sou, do que eu faço, do que eu levo comigo.
Sonhar com você é deixar de me preocupar com o que eu visto, com o que eu como, com o que eu falo.

Te imaginar é mais do que eu posso, é mais do que eu tenho, é mais do que eu devo.
Lembrar de você me traz insegurança, me aflige e às vezes me tira o sono.

Mesmo assim, penso, todo o tempo, em como você está. Tento imaginar seus diferentes jeitos de sorrir, o jeito como gesticula enquanto conversa, em como você me imagina e se imagina.
Me preocupo quando penso que você possa se interessar por uma alma que não a minha, um protótipo de gueixa talvez....

Gosto de me lembrar da sua presença, mesmo que em vultos negros. Gosto de imaginar seu cheiro (um cheiro fresco, de sabonete), seu olhar de perto (um olhar intenso, mas meigo) e o som da sua voz (uma voz engraçada).

Tento, e como tento, não me iludir. Me martirizo por uns instantes, começo a te odiar em outros desses instantes, e oro na maioria deles. Não sei o que dizer quando converso com Deus. Não sei o que pedir, quais palavras usar.

Então, na minha confusão, eu apenas agradeço. Agradeço por existir, por te conhecer e por gostar de sonhar com você, mesmo que todos os dias, mesmo que desde aquele instante, mesmo que apenas isso.

Vanessa Sezini